Como escolher um paraglider

O paraglider é conhecido em português como o parapente e um bom piloto deve estar munido do melhor material. Saiba como escolher um paraglider e conheça quais são os aspetos mais importantes que devem reger a sua seleção.

Com o intuito de adquirir o melhor paraglider do mercado, é necessário que um piloto conheça todos os aspetos que podem influenciar a sua compra. Dos aspetos principais, destacam-se os seguintes:

A categoria em que um piloto se encontra

Existem várias categorias de parapentes e cada uma delas vai ao encontro dos conhecimentos práticos e da experiência que um determinado indivíduo tem acerca da modalidade que vai praticar. Todos os pilotos devem pilotar paragliders criados especificamente para o seu nível, caso contrário poderão sofrer algum tipo de acidente grave. Os paragliders são categorizados em 4 níveis distintos: principiante, intermediário, avançado e competição.

Principiante

O paraglider principiante, como o próprio nome indica, destina-se a todos os que estão a dar os primeiros passos neste desporto de aventura. Esta categoria apresenta o velame ideal para todos os que pretendem sentir a magia de um voo pela primeira vez e para os que desejam voar com total conforto, segurança e precisão. A sua construção é composta por 39 células, o que garante um extradorso liso e uma enorme estabilidade.

Intermediário

A categoria intermediária apresenta um velame mais leve e que permite um maior alongamento em número de células. É o ideal para ser utilizado nas subidas ao topo das térmicas e para a realização de voos de distância. A sua construção é constituída por 51 células, o que garante uma pilotagem mais precisa.

Avançado

O nível avançado vai ao encontro de todos os praticantes que fazem do voo de parapente uma prática regular. É um paraglider desenhado especialmente para os pilotos mais experientes, pois oferece-lhes uma maior performance e pilotagem. Os paragliders avançados oferecem uma resposta imediata e eficaz a qualquer tipo de comando e garantem uma estabilidade aérea muito boa. A sua construção é mais detalhada e é constituída por 64 células.

Competição

O parapente de competição oferece uma grande evolução de performance e estabilidade em altas velocidades. É destinado e restrito a pilotos muito experientes, que procuram atingir bons resultados em competições e voos de distância. A sua construção é mais técnica e detalhada e é por isso que tem 83 células.

O certificado que o parapente ostenta

Todos os paragliders são certificados pelo Comité Europeu de Normalização (CEN) e segundo as normas europeias EN926-1 e EN926-2, os parapentes são testados e classificados nas categorias A, B, C e D. Assim, são definidos de forma clara e transparente a que tipo de piloto se destina um determinado parapente.

A categoria A

Trata-se de um parapente que apresenta o máximo de segurança. É o indicado para o nível de principiante, uma vez que é aquele que permite a realização de mais erros de pilotagem, o que é comum para quem se está a iniciar neste desporto.

A categoria B

Trata-se de um parapente que apresenta bons resultados ao nível da segurança. Em concreto, oferece alguma resistência em voltar ao voo normal depois de qualquer tipo de incidente, mas é o indicado para todos os pilotos que se encontram no nível intermediário.

A categoria C

A categoria C é equiparada aos pilotos que já se encontram num nível mais avançado. O parapente reage de forma dinâmica a um determinado incidente e é necessária a intervenção e habilidade do piloto para que o voo regresse à normalidade. É um parapente que se destina a todos os praticantes que voam regularmente.

A categoria D

É um parapente potencialmente violento nas reações à turbulência ou aos erros de pilotagem. É o indicado para todos os pilotos de competição e destina-se apenas aos mais experientes.

Um piloto iniciante não deve adquirir um paraglider com a categoria C, uma vez que os seus conhecimentos são ainda limitados e insuficientes. Ao fazê-lo, por estar a olhar para o futuro, por exemplo, poderá comprometer a sua segurança e sofrer com isso um acidente muito grave. Se é iniciante, o piloto ainda não tem a arte nem o traquejo necessários para dominar um parapente rápido e agressivo como aqueles que se encontram na categoria C.

O peso dos pilotos

Os modelos de paraglider são fabricados para pilotos com pesos diferentes. O velame de um paraglider deve suportar o peso do piloto e ainda o peso dos acessórios e do equipamento restante, que é cerca de 20 kg. Como tal, se pesar 80 kg, deve comprar um velame que suporte no mínimo 100 kg. Só assim é que consegue adquirir um paraglider à sua medida.

A importância dos acessórios

Os acessórios são também um fator importante que influenciam e diferenciam a compra de um bom ou mau produto, e no paraglider os acessórios não são exceção. Por exemplo, ao adquirir a selete, que é a cadeira onde os pilotos viajam, deve ter em atenção se esta já incorpora o protetor de coluna em espuma, que é um tipo de airbag que protege a coluna do piloto em caso de queda. É uma modificação que foi implementada recentemente e constitui uma vantagem enorme na segurança de todos os pilotos. Na compra de um equipamento, opte sempre por aquele que lhe oferece maior proteção e garantias, pois esse é sempre um bom investimento.

A opinião de um instrutor

Se está completamente às escuras na escolha do seu paraglider, deve pedir a opinião dos entendidos na matéria. Fale com um instrutor de parapente e faça todo o tipo de perguntas. Assim, no momento de decidir, estará na posse de todas as informações necessárias para adquirir o melhor paraglider.

Estes são os aspetos principais que determinam a escolha do melhor paraglider. Depois é só lançar-se à aventura com o seu paraglider novo, isto se já tiver realizado um curso de parapente (é uma condição obrigatória!), e apreciar a natureza em todo o seu esplendor.

Nacional: