História do paraquedismo

O paraquedismo é um desporto de aventura que atrai milhares de adeptos de qualquer parte do mundo. A sua espetacularidade reside na variedade das suas modalidades e nas manobras arriscadas que são efetuadas por parte dos seus praticantes. Conheça a sua história e saiba o porquê deste ser um dos desportos que mais tem crescido e que mais se tem notabilizado a um nível mundial.

A origem do paraquedismo

Para que entenda o que é o fenómeno do paraquedismo é fundamental conhecer toda a sua história, só assim compreenderá como se tornou tão popular.
Existem vários relatos que o paraquedismo surgiu como uma forma de entretenimento, em meados do século XIV na China. Os chineses utilizavam inúmeros guarda-sóis para saltar de torres enormes de forma a animar as festas imperiais. Mais tarde, no século XV, Leonardo da Vinci desenhou e projetou o primeiro pára-quedas em forma de pirâmide. Contudo, factualmente, o primeiro salto de pára-quedas foi efetuado por Andrew Jacques Garnerin, em 1797, em França, nomeadamente na cidade de Paris. Assim se deu o início e o desenvolvimento do paraquedismo.
Porém, foi apenas no século XX que esta atividade explodiu e desde então não tem parado de crescer.

A evolução do paraquedismo

Até ser conhecido como um dos desportos mais radicais do mundo, o paraquedismo sofreu uma grande evolução. No início do século XX, o pára-quedas começou a ser utilizado para proteger os tripulantes de aviões militares durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Anos mais tarde, em plena Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o paraquedismo teve a sua maior evolução quando foi utilizado como meio de transporte para o desembarque de tropas e alimentos na retaguarda da linha de defesa do inimigo. Neste período, o paraquedismo estava intimamente ligado a ações militares e a uma estratégia de combate ofensiva. Após a Guerra, como os pára-quedas eram utilizados basicamente para o lançamento de tropas e suplementos alimentares, os militares perceberam a possibilidade de fazer saltos por desporto e diversão.

Década de 70

Depois de algumas melhorias significativas ao nível dos materiais, o paraquedismo teve o seu apogeu na década de 70 com a entrada em cena de várias empresas norte-americanas que desenvolveram um equipamento mais moderno. Das várias melhorias, destaque para o aparecimento do sistema de liberação de três argolas (three ring), considerado no seio do paraquedismo a invenção do século pela sua dirigibilidade.
Esta década ficou ainda marcada pelo surgimento do pára-quedas com a forma retangular, contudo ainda muito primitivo em relação aos que hoje são utilizados. A partir daqui, o paraquedismo começou a evoluir a um ritmo ainda mais rápido.

A partir da década de 80

Na década de 80, surgiram os primeiros pára-quedas de nove células, o que possibilitou a invenção dos saltos tandem ou saltos duplos e o desenvolvimento de novos métodos de ensino de queda livre, como o Accelerated Free Fall (Queda Livre Acelerada), o que permitiu a difusão do paraquedismo a uma escala mundial.
A partir daqui, o paraquedismo atingiu um nível de segurança que possibilitava a que qualquer pessoa, em bom estado de saúde, o pudesse praticar. Nesta fase, assiste-se à transformação do paraquedismo militar num desporto de competição. Desenvolveram-se várias modalidades dentro do paraquedismo, desde as mais tradicionais, como a Formação em Queda Livre e Precisão ao Freefly, Freestyle, Skysurf e outras que estão sendo praticadas e desenvolvidas a cada dia que passa. O desenvolvimento dos materiais permitiu o aumento dos índices de segurança deste desporto de aventura e melhorou a performance de todos os paraquedistas.

Toda esta evolução captou a atenção dos meios de comunicação social à qual as pessoas não ficaram indiferentes, daí o motivo deste ser um desporto muito popular. Hoje, o equipamento é de qualidade e isso leva qualquer pessoa a querer testar os seus limites, desafiando as fronteiras das leis físicas, em busca de novas aventuras cheias de emoção e de adrenalina.
O paraquedismo progrediu muito, ele veio para ficar e está para durar, pois é um desporto de aventura que garante muitas horas de diversão e leva as emoções de todos ao rubro.