As principais modalidades do paraquedismo

O paraquedismo é um fenómeno desportivo que tem vindo a crescer muito nos últimos anos e tem hoje um número cada vez maior de adeptos. A diversidade das modalidades existentes é o maior testemunho dessa evolução. Conheça as principais modalidades que constituem o paraquedismo e saiba como elas levam ao êxtase os seus apreciadores e atletas.

O paraquedismo é um dos desportos radicais que mais se tem notabilizado pela diversidade de modalidades com que presenteia os seus praticantes. Das modalidades que compõem o paraquedismo, destacam-se as demais:

Voo em Formação ou Formação em Queda Livre (FQL)

 É a modalidade de paraquedismo mais praticada no mundo e ainda continua a ser a mais popular, apesar do crescimento do Freefly. Esta modalidade é dividida em diferentes categorias, como por exemplo: 2-way, 4-way, 8-way, 16-way e Big-ways (grandes formações, onde os saltos têm mais de 30 pessoas).

Freefly

É uma das modalidades mais recentes do paraquedismo e é também a que mais tem vindo a crescer. No Freefly o paraquedista utiliza várias técnicas de voo, por exemplo: head down (cabeça para baixo), sitfly (sentado), standup (de pé), backtrak (de dorso), bellyfly (de barriga para baixo) e qualquer outro tipo imaginável de voo. Não existem limites no Freefly e isso faz com que esta seja uma das categorias mais apreciadas no paraquedismo, talvez até a mais radical pois os atletas realizam manobras que antes pareciam ser impossíveis e agora chegam a atingir velocidades de 400 km/h. Trata-se de uma disciplina muito apelativa para os mais jovens.

Skysurf

O Skysurf é uma modalidade disputada por equipas, constituída por 2 atletas, o skysurfer e um cameraflyer. O skysurfer salta com uma prancha especial, à semelhança de uma prancha de surf, na qual desliza e faz movimentos de rotação, como que estivesse a surfar os céus. Já o cameraflyer grava a performance do skysurfer numa câmara de vídeo que está montada no capacete, mas também contribui com a sua performance artística e com as suas habilidades de voo. O skysurf é uma atividade radical que se realiza no céu e o seu funcionamento é equiparado ao skurfing.

Precisão

Esta é a modalidade mais antiga do paraquedismo. É praticada com a calote aberta e o objetivo principal é atingir uma placa no centro de um alvo determinado com apenas 5 centímetros de diâmetro. Atualmente os alvos modernos possuem marcação eletrónica na área próxima à placa, facilitando e dando maior precisão nas marcações.
Estas competições são, em geral, bastante emocionantes, já que o centro de decisão se situa junto ao solo, e por conseguinte junto aos espetadores.

Estilo

O Estilo e a Precisão caracterizam as provas do paraquedismo clássico. O Estilo é uma prova bastante técnica e realizada em queda livre. O paraquedista salta a 7.000 pés de altitude e inicia uma sequência de manobras. Esta sequência é registada por uma câmara de solo que possibilita a avaliação da prestação do atleta. O tempo que se demora a efetuar a série é registado e os erros cometidos são transformados em acréscimo de segundos. Os campeonatos de estilo são muito renhidos e as diferenças cifram-se, normalmente, em décimas de segundo.

Freestyle

O Freestyle nasceu com a evolução das habilidades que se foram desenvolvendo no paraquedismo e pelo conhecimento aprofundado das técnicas da queda livre. O Freestyle funciona à semelhança do skysurf, os atletas saltam em duplas, nomeadamente o freeflyer e o cameraflyer. Ambos executam em queda livre, e a cerca de 200 km/h, uma série de movimentos artísticos similares aos da ginástica acrobática e dos saltos ornamentais.

Cross Country

Esta é uma modalidade que é praticada normalmente em dias ventosos e tem como objetivo principal percorrer a maior distância de terreno possível com o pára-quedas aberto. Dependendo do vento, no Cross Country é possível percorrer dezenas de quilómetros para atingir o alvo estabelecido. Um dos maiores segredos da modalidade está no cálculo correto do ponto de saída da aeronave.

Wing Fly

O objetivo do Wing Fly é percorrer a maior distância possível em queda livre. Os paraquedistas têm fatos próprios para a prática da modalidade, o que lhes permite deslocamentos verticais até 160 quilómetros por hora. Em muitos países da Europa esta modalidade tem já um sucesso considerável e o seu crescimento pode vir a ser bombástico.

Base Jump

O Base Jump é a modalidade do paraquedismo que se destina a todos os paraquedistas mais experientes e radicais. O objetivo principal é saltar de qualquer, sendo que o tempo até ao impacto é extremamente curto. Isto significa que o tempo de reação é bastante reduzido e qualquer erro pode vir a ser fatal. Os pontos de saída possíveis são os edifícios e construções mais comuns, como por exemplo os prédios, antenas, pontes, montanhas, entre outros.